TRINDADE SEDIARÁ A VII CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

Tema: “Consolidar o SUAS de vez rumo a 2026″

conferenciaA Prefeitura de Trindade, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social e Conselho Municipal de Assistência Social convida toda sociedade para participar da VII Conferência Municipal de Assistência Social do município que acontecerá dia 06 de agosto (quinta-feira), no Salão do Centro Paroquial das 07h30 às 17h.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO:

07:30hs às 08:30hs – Credenciamento e Café da Manhã

08:30hs – Composição da Mesa e Abertura Oficial da Conferência

09:00hs – Leitura do Regimento Interno

09:20hs – Apresentação Cultural SCFV Idosos

09:40hs – 1ª Palestra seguida de Debate com o Tema: “Consolidar o SUAS de vez, rumo a 2026″, englobando outras temáticas da Conferência – Palestrante: Alexsandra Almeida.

10:40hs – Apresentação de Vídeo Institucional

10:50hs – 2ª Palestra seguida de Debate com o Tema: “Fortalecimento da Participação e do Controle Social para a Gestão Democrática” – Palestrante: Márcia Barros

11:40hs – Apresentação Cultural SCFV Jovens

12:00hs – Almoço

13:30hs – Apresentação Cultural SCFV Crianças

13:40hs – Trabalhos em Grupos

14:40hs – Apresentação dos Trabalhos dos Grupos

15:40hs – Votação das Propostas

15:50hs – Eleição dos Delegados

17:00hs – Encerramento

Da Assessoria de Imprensa – Prefeitura de Trindade

Share Button

1ª FESTA DO GESSO EM TRINDADE – SUCESSO ABSOLUTO!

fotoA Festa do Gesso de Trindade passou e já deixou saudades para todos nós que vivemos por aqui. As barracas já começaram a serem desmontadas, os parentes e amigos que moram em outras cidades já se preparam para ir embora e, nas ruas e avenidas, já não se vê o mesmo contingente de pessoas passeando por nossa cidade.

Porém, a vida segue…

Vivemos uma festa abençoada por Deus e Nª Senhora, tudo transcorreu de forma ordeira e pacífica. Tivemos a participação de pessoas ilustres em nossa festa, desde o plaqueiro, bloqueiro, do comerciante, empresários do gesso aos deputados que vieram nos visitar, foi à festa do povo para o povo!

foto1PARABÉNS A TODOS PARTICIPANTES, AO PREFEITO DR. EVERTON COSTA E SEU VICE JAÉCIO SÁ, AOS ARTISTAS, AOS ORGANIZADORES E COLABORADORES, POR TEREM FEITO DESTA FESTA “UMA DAS MELHORES DE TODOS OS TEMPOS”.

trindade4 trindade3Abraço a todos!
Dr Airton Carneiro

Da Assessoria de Imprensa – Prefeitura de Trindade

Share Button

PSB INICIA AGENDA 40; ARARIPINA SEDIARÁ O ENCONTRO EM SETEMBRO

agenda40O Partido Socialista Brasileiro em Pernambuco iniciou o calendário de encontros da Agenda 40 neste sábado (1º), em Itambé, Mata Norte do estado. Este foi o primeiro de uma rodada de 12 encontros que vai percorrer todas as 12 regiões do estado, com o objetivo de mobilizar e organizar as bases e segmentos do partido. Além de ampliar a formação política dos socialistas e promover novas filiações.

Para o presidente do PSB, Sileno Guedes, as Agendas 40 vão fortalecer o partido e seus segmentos, tendo em vista as eleições municipais do próximo ano. Em Itambé, o PSB reuniu representantes de todos os 17 municípios da Mata Norte, além de vice-prefeitos, vereadores e lideranças políticas da região.

Além do presidente estadual, estiveram presentes, o secretário de organização do partido, João Campos, e os prefeitos Bruno Ribeiro (Itambé), Kaká Bezerra (Aliança), Carlinhos do Moinho (Carpina), Gileno Filho (Ferreiros), Pereira Araújo (Paudalho) e Jaílsom do Armázem (Lagoa do Carro).

O próximo compromisso da Agenda 40 será no próximo sábado (8), em Palmares, voltado para todos os municípios da Mata Sul. O calendário permanece com encontros durante os meses de agosto e setembro em cidades-polos de todas as 12 regiões do Estado. Araripina no Sertão do Araripe deverá sediar a Agenda 40 no mês em que se comemora a sua emancipação política. (Assessoria/PSB)

Share Button

UM REAL PARA BANCAR TRÊS MERENDAS ESCOLARES

Repasses federais não sofrem reajustes há no mínimo três anos e municípios têm dificuldades de bancar sua parcela nessa cota

João Vitor Pascoal – Diario de Pernambuco

Trinta centavos para um lanche. Um real para bancar três refeições diárias. Esses são alguns dos valores aplicados pelo governo federal no repasse de recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), voltado para cada estudante da rede básica de ensino público municipal e estadual do Brasil. A justificativa do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) – autarquia responsável pelo PNAE – para o montante é que os repasses são um complemento financeiro disponibilizado pelo governo federal, já que a merenda é enquadrada como assistência social e, portanto, é um dever municipal e estadual. No ano passado, a média de repasse por aluno/dia no país foi de R$ 0,42. Em Pernambuco, o cenário foi um pouco melhor com R$ 0,48 de média. Enquanto isso, segundo estimativa da Confederação Nacional dos Municípios, a merenda diária de cada aluno custou em média R$ 1,80.

O total recebido por cada estado e município é definido conforme o número de matrículas, quantidade de dias letivos, com valores diários variando entre R$ 0,30 e R$ 1. E nos últimos anos, o auxílio federal não tem sido reajustado nem para recompor as perdas com a inflação que somente neste ano está acumulada em quase 9%, gerando reflexos nos municípios. “O que eu comprava com R$ 50 mil, hoje eu compro com R$ 70 mil. A mercadoria subiu, subiu energia e transporte, que são insumos estratégicos na composição do custo da merenda”, afirma o presidente da Amupe (Associação Municipalista de Pernambuco) e prefeito de Afogados da Ingazeira, José Patriota (PSB). No município, a média de repasses para a alimentação diária de cada aluno foi de R$ 0,41. “Não gastamos menos de R$ 1”, aponta Patriota. Em Tuparetama, o cenário é parecido. O prefeito Dêva Pessoa (PSD) aponta que a prefeitura arca com cerca de R$ 300 mil anualmente para bancar a merenda. Os repasses federais ao município para o segmento totalizaram no ano passado R$ 146 mil.

O prefeito de Cumaru e secretário-geral da CNM, Eduardo Tabosa (PSD), entende que além de aumentar e recompor a inflação, os investimentos feitos na merenda também deveriam entrar na soma dos 25% do orçamento que deve ser por lei, obrigatoriamente, investido em educação pelos municípios. “O município precisa gastar um dinheiro que não tem, e isso fica ainda mais restrito porque não entra no cálculo dos 25%. A merenda também é um componente importante para a aprendizagem do aluno”, ressalta.

O FNDE proíbe que refrigerantes e refrescos artificiais sejam oferecidos aos estudantes na merenda, além de restringir em 30% o percentual de gastos com alimentos enlatados, embutidos, doces, além de alimentos. Essa medida, no entanto, ainda é insuficiente, de acordo com a nutricionista do Hospital das Clínicas, Maria Auxiliadora. Para ela, a oferta desse tipo de alimento, ainda que em quantidade menor, é prejudicial para as crianças e adolescentes. “Embutidos e enlatados são ‘lixo’. Não deveria nunca ser incluído na merenda escolar. Uma criança que se alimenta de forma incorreta já entra na vida adulta com risco maior de desenvolver doenças cardíacas, por exemplo”, ressalta. “Tem que haver um cuidado maior por conta da obesidade crescente entre crianças e adolescentes”, complementa.

Em São Bento do Una, a prefeitura tenta aumentar a convivência dos alunos das 62 escolas municipais com a alimentação saudável. Pequenas hortas que são plantadas e consumidas pelos próprios alunos. De acordo com a prefeita Débora Almeida (PSB), além de gerar uma pequena economia aos cofres municipais, a ação tem aumentado a empatia das crianças com os vegetais. “Os alimentos da horta que sobram, os alunos levam para casa. Alguns pais relatam que as crianças estão pedindo para comprar esses alimentos que não tinham o costume de comer em casa”, conta a prefeita.  Ainda de acordo com a socialista, somente com gêneros alimentícios, o município investe do próprio cofre mais de R$ 400 mil por ano. Esse valor é ainda maior se levado em conta o dinheiro gasto com distribuição, gás, água e pagamento de pessoal.

 

Share Button

DILMA PREPARA CONTRAOFENSIVA PARA RECUPERAR SUA POPULARIDADE

Brasília - DF, 28/07/2015. Presidenta Dilma Rousseff durante Lançamento do Dialoga Brasil. Foto: Ichiro Guerra/PR

Agência Estado

A presidente Dilma Rousseff iniciará uma contraofensiva para recuperar sua popularidade num mês carregado de adversidades. Até o fim de agosto, o Congresso volta a trabalhar com uma pauta recheada de projetos que impactam as finanças federais, o Tribunal de Contas da União (TCU) analisa as “pedaladas fiscais” e uma série de manifestações pelo impeachment estão programadas para tomar as ruas do País. O Planalto traçou para Dilma um roteiro de viagens e cerimônias para relembrar à população os programas bem-sucedidos de seu primeiro mandato, a exemplo do Minha Casa, Minha Vida e do Mais Médicos , além de usar os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro como uma das vitrines de sua segunda gestão.

Nos próximos dias, Dilma faz um evento no Palácio do Planalto para comemorar os dois anos do Mais Médicos. Apesar de toda a polêmica envolvendo a vinda dos médicos cubanos para preencher vagas não requisitadas por brasileiros, o programa agradou à população, especialmente em locais em que o atendimento médico não chegava. Na quarta-feira, 5, viaja ao Rio de Janeiro para um novo evento alusivo às Olimpíadas, marcando a contagem regressiva de um ano para a realização do evento.

Dilma deve começar também nos próximos dias um tour pelo Nordeste, tendo como ponto de partida uma visita ao Maranhão, governado por Flávio Dino (PC do B), um dos principais governadores na linha de defesa do mandato da presidente. Em seguida será a vez de Bahia e Ceará. Região em que a presidente obteve a maior parte de seus votos na reeleição, o Nordeste não resistiu à crise econômica e a consequente queda de popularidade da presidente. Hoje, a reprovação de Dilma na região ultrapassa os 70%.

Apesar disso, a avaliação dos assessores mais próximos de Dilma é que ali será mais fácil para a presidente criar uma agenda positiva. Estão no Nordeste as obras com maior impacto social e que podem lembrar à população as boas coisas do governo. Dilma pediu aos ministros um mapeamento completo das obras que devem ser entregues nas próximas semanas para que possa participar, sempre que possível, das inaugurações.

A intenção do Planalto é que a presidente amplie consideravelmente as viagens pelo Brasil. Ao jornal O Estado de S.Paulo, um auxiliar dela disse que Dilma “precisa” viajar mais, “olhar no olho do povo”, “repactuar a relação de amor com a população”.

Além das viagens, Dilma deve intensificar a presença nas redes sociais com a publicação de vídeos ao longo das próximas semanas. No primeiro, já divulgado, a presidente cumprimentou os atletas do Pan-Americano pelas medalhas conquistadas. Outros incluem uma fala sobre o programa de proteção do emprego e um terceiro, uma mensagem de otimismo com os rumos da economia. A ideia é que seja postado, em média, um vídeo por semana, para evitar a saturação da imagem da presidente.

Churrasco
Nesta segunda-feira, 3, Dilma receberá líderes e presidentes da base aliada no Congresso, para um churrasco. A intenção é marcar uma reaproximação, ainda que complicada, com os parlamentares, em uma tentativa de evitar a ampliação das pautas-bomba e minimizar poder de persuasão do presidente da Câmara, Eduardo Cunha. A primeira estratégia, obter apoio dos Estados, teve sucesso. Na quinta-feira, 30, depois de uma reunião de quase quatro horas, a única promessa dos governadores foi a de acionar suas bancadas para desarmar as bombas fiscais.

Na manhã desta segunda-feira, 3, durante a reunião de coordenação política, a presidente vai cobrar de seus auxiliares atenção redobrada com a tramitação de matérias que tenham impacto nas contas públicas.

Com o fim do recesso parlamentar, o governo prepara suas armas para tentar barrar os avanços de temas que podem aumentar os gastos públicos, como o reajuste do Ministério Público, a criação de um piso nacional para policiais e bombeiros e a mudança no índice de atualização do FGTS. Segundo um auxiliar palaciano, a eventual aprovação dessas matérias representaria uma perda ainda maior de prestígio da presidente, que já se viu obrigada a vetar o reajuste do judiciário. Para pacificar a base aliada e evitar novas traições, o governo decidiu acelerar a liberação de emendas e a composição do segundo e terceiro escalões, que deve ser concluída em meados de agosto.

Share Button

SENADO INSISTE EM PROPOSTA QUE CRIA MUNICÍPIOS

Cláudia Ferreira – Esp. para o Diario de Pernambuco

Uma decisão na semana de esforço concentrado no Senado Federal promete trazer de volta um debate já antigo na Casa. O plenário aprovou com imensa maioria dos votos o projeto de lei do Senado (PLS) 199/2015, que regulamenta a criação, fusão e incorporação de novos municípios do Brasil. Nos últimos anos, essa tentativa esbarrou duas vezes na Presidência da República, que vetou por completo dois projetos semelhantes, em 2013 e 2014. O deste ano propõe praticamente as mesmas regras apresentadas na última matéria vetada, o que torna difícil que a presidente Dilma Rousseff mude de ideia.

Apesar disso, senadores como o pernambucano Douglas Cintra (PTB) persistem no apoio à proposta, argumentando que os serviços públicos básicos nem sempre atingem todas as localidades dos municípios, sobretudo as zonas rurais e os distritos mais distantes dos centros urbanos. “Tem um distrito no Pará que fica a mil quilômetros da sede do município. Ninguém votou pensando em São Paulo, pensamos mais na regiões Norte e Centro-oeste principalmente”, defendeu o parlamentar.

Em agosto do ano passado, Dilma vetou o projeto de lei com o argumento de que ele traz à tona o problema da responsabilidade fiscal. Segundo uma pesquisa de 2014 do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), vinculado à Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, os critérios exigidos na proposta permitiriam a criação de, no mínimo, 363 novas cidades. Mais cidades significam mais prefeitos, vereadores e funcionários públicos e maior pulverização das transferências do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), encarecendo ainda mais a máquina pública.

Mas o que depõem mesmo contra a matéria e os argumentos a ela favoráreis são os dados estatísticos. De acordo com Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF), divulgado em 2015 com base em 2013, somente 61 dos 5,5 mil municípios brasileiros geram receitas suficientes para pagar a folha salarial, sendo esse tipo de gasto, em média, oito vezes maior que as receitas próprias. Cerca de 84% deles apresentam situação fiscal considerada difícil ou crítica. Sem contar que em 94%, a arrecadação própria é irrisória ou inexistente, tendo nas transferências recebidas do Governo Federal pelo menos 70% de suas receitas correntes.

“Sou contra aumento de gasto público, mas a gente não pode deixar as pessoas sofrendo com essas ausências”, pondera o senador Douglas Cintra. Na Câmara dos Deputados tramita em regime de urgência um projeto idêntico ao que foi aprovado no Senado, o PLP 437/2014, que aguarda o relatório da Comissão de Integração Nacional. Resta saber se a Casa revisora segue concordando com a tese de que a expansão da presença do poder público resulta necessariamente numa redução das desigualdades regionais. “A gente está mandando para lá esperando que a Câmara possa dar celeridade ao processo”, conclui.

Share Button

PAULO CÂMARA DIZ QUE OPOSIÇÃO NÃO PODE JOGAR CONTRA O BRASIL

camaraMesmo fazendo oposição ao governo da presidente Dilma Rousseff (PT), o governador Paulo Câmara (PSB) vai se articular junto aos 25 deputados federais e três senadores pernambucanos para tentar desarmar as pautas-bombas que estão em tramitação e prometem causar não só dor de cabeça ao governo federal, na volta das atividades legislativas, como ter reflexo na saúde financeira do estado. Em entrevista após a reunião com a presidente e outros 26 governadores, o socialista afirmou que vai mostrar aos parlamentares pernambucanos que “quem for oposição ao governo federal não pode ser contra o Brasil”.

“Temos uma série de pautas que estão tramitando e que afetam os estados e os municípios, não apenas a União. São questões que precisam ser olhadas. Nós, como gestores, também teremos essa responsabilidade de conversar com a bancada”, afirmou Paulo Câmara. O gesto do socialista atende ao pedido feito pela presidente Dilma durante a reunião de ontem, que teve, entre outros objetivos, a finalidade de garantir a governabilidade em meio a uma das maiores crises políticas e econômicas pela qual o PT passa desde que o ex-presidente Lula assumiu o primeiro mandato, em 2003.

Segundo Paulo Câmara, projetos, como o que modifica o fator previdenciário, além do reajuste para servidores do Judiciário (vetado por Dilma na última semana) foram alguns dos listados pelo ministro da Secretaria de Aviação Civil, Eliseu Padilha, e que fazem parte da pauta-bomba. “Há, ainda, uma série de reajuste de categorias que também estão em tramitação”, frisou, acrescentando que os governadores devem receber um documento completo com todos os projetos que o governo quer “desarmar” neste segundo semestre.

Cooperação
O governador cobrou, ainda, que a presidente mantenha o compromisso assumido de que ouvirá mais os gestores. “Os governadores estão solidários. Agora, temos que ser ouvidos, como fomos ouvidos hoje. A presidente se comprometeu a isso ser uma sistemática”, disse, para acrescentar. “A gente espera que, daqui para frente, a cooperação mútua exista cada vez mais. Tanto a União, ouvindo os governadores, como nós tendo a sensibilidade de ajudar o governo no momento em que todo o país está passando por uma grave crise fiscal que também envolve uma crise política”, afirmou o socialista.

Ainda segundo Câmara, a reunião de ontem foi um primeiro passo para se produzir resultados mais concretos. “Foi um início de conversa, de uma relação mais próxima. Todos nós saímos com o compromisso de contribuir com o debate”, explicou, acrescentando que temas como saúde, segurança e emprego também foram discutidos pelo governo. “Saímos com a clara atribuição de designarmos pessoas para, junto com o governo federal, discutir saídas para esses graves problemas”.

Além do gesto de apoio à governabilidade da presidente, durante a reunião o gestor pernambucano também reforçou algumas pautas junto à petista, a exemplo da liberação das operações de crédito (empréstimos) para os estados. “Ela vai buscar atender aos nossos pleitos dentro de uma visão federativa”, disse. (Diário de Pernambuco)

Share Button

DEPUTADOS FEDERAIS DE PERNAMBUCO DEFENDEM #FICACUNHA

A volta dos trabalhos na Câmara dos Deputados, nesta segunda-feira (03), será repleta de expectativas diante dos últimos episódios que ocorreram, sobretudo o rompimento do presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB/RJ), com o governo federal e as denúncias de envolvimento dele no esquema de corrupção da Petrobras, investigado na Operação Lava-Jato.

Uma das primeiras polêmicas que deve agitar o Parlamento é a tentativa de retirar o peemedebista no comando da instituição. Uma corrente puxada por dois parlamentares pernambucanos, que, apesar de terem a mesma opinião, militam em campos opostos da política. De um lado Silvio Costa (PSC), defensor contumaz do governo Dilma Rousseff (PT), que garante o fortalecimento do confronto com Eduardo Cunha neste segundo semestre. Na outra ponta, o ex-senador Jarbas Vasconcelos (PMDB), opositor histórico de Dilma. Entre eles está o restante da bancada federal do estado, que se divide em três turmas: a do #ForaCunha, #FicaCunha e #DeixaDisso.

cunhaDos 15 deputados federais (são 25 no total) com quem a reportagem conseguiu contato nas últimas duas semanas – esse período foi de recesso da Casa, por isso muitos estavam de viajando -, sete defendem a permanência de Cunha na presidência. Em geral, ponderam que apesar da reação “emocional” e “desproporcional” do parlamentar, depois de ter sido citado em delação premiada, somente a suspeita de ter recebido US$ 5 milhões de um empreiteiro não é suficiente para afastá-lo do cargo.

Outros três se juntam a Silvio Costa e Jarbas Vasconcelos e ressaltam: “Cunha perdeu as condições de presidir o Parlamento”. As opiniões são individuais e não refletem ainda posições partidárias. Há deputados do PSB, por exemplo, integrando a turma do #DeixaDisso e do #CunhaFica. O mesmo acontece com o PSDB. Outros três pernambucanos ficaram em cima do muro, sem polemizar o tema, engrossando o coro do #DeixaDisso.

Na torcida – Entre os pernambucanos mais entusiastas do #ForaCunha está o deputado Augusto Coutinho (Solidariedade), também opositor de Dilma. Ele defende a saída do presidente “enquanto a coisa se esclarece”. “Não é pré-julgamento, mas não podemos desprezar a grave denúncia”, observou. Por outro lado, Coutinho considera a posição de Silvio Costa incoerente. “O governo de Dilma também está atolado em denúncias e ele não defende o afastamento dela.”

Comparação – Silvio Costa classificou como desrespeito a comparação entre Cunha e Dilma. “Não dá para comparar as duas histórias. Eu sempre soube que ele (Cunha) não tinha condições de presidir a Câmara. Entre outras coisas, Cunha foi até tesoureiro de Fernando Collor. Eu defendo uma presidente digna, correta e decente”, enfatizou Costa.

Abafa o caso – Para Jarbas Vasconcelos, o primeiro semestre foi marcado pelo autoritarismo na Câmara. “Os meses de agosto e setembro serão decisivos, por mais que existam tentativas de Cunha, durante o recesso, de abafar o que houve”.

Confira os integrante de cada turma:

#ForaCunha – cinco deputados

Silvio Costa (PSC) – Sempre soube que Eduardo Cunha não tinha condições de ser presidente da Câmara. Sou oposição a ele desde seu primeiro dia de mandato. Foi importante para a governabilidade esse rompimento com o governo. Agora ele vai fazer oposição às claras, o que já fazia às escondidas.

Jarbas Vasconcelos (PMDB) – Acho que ele deve se afastar enquanto durar a investigação, para que os trabalhos na Casa ocorram com mais tranquilidade e para que o próprio presidente possa se explicar.

Augusto Coutinho (Solidariedade) – A gente não pode fazer pré-julgamento, mas não podemos desprezar a grave denúncia. Não é abdicar da presidência, mas deveria se afastar.

Betinho Gomes (PSDB) – Eduardo Cunha está extremamente fragilizado por causa das denúncias. Deveria solicitar afastamento para não contaminar o cargo e esclarecer os fatos, assim como os ministros citados.

Wolney Queiroz (PDT) – Ele perdeu as condições não por causa das denúncias, mas por sua postura desequilibrada e vingativa. Defendo a presunção da inocência. Mas a gente não pode ter um presidente na Câmara que se vinga.

#FicaCunha – sete deputados

Anderson Ferreira (PR) – Não tem porque Cunha se afastar, ele não faltou com o decoro nem foi julgado por algo que possa impedir que ele fique no cargo. O que há é uma investigação. Com Cunha na presidência vários projetos polêmicos foram colocados em pauta.

Kaio Maniçoba (PHS) – Acredito que para haver o afastamento de qualquer autoridade do cargo é preciso provas contundentes. Depois de comprovada a veracidade dos fatos, aí sim devem ser tomadas ações cabíveis.

Mendonça Filho (DEM) – Defendo por princípio e acho que deve ser aplicado a qualquer pessoa a presunção de inocência. Só a delação é muito pouco neste momento, porque assim ficaria muito fácil tirar um presidente da Câmara ou da República.

Tadeu Alencar (PSB) – Meu posicionamento, por enquanto, é individual. Mas o partido deve se reunir depois do recesso. Temos que deixar as instituições funcionarem. Não é o fato de ele estar respondendo a uma investigação que deve afastá-lo. Por outro lado, a reação dele foi imprópria e emocional, como se os instrumentos pudessem ser manejados para interesses pessoais.

Marinaldo Rosendo (PSB) – Aprecio a forma de Eduardo Cunha conduzir a Câmara pelo fato de trazer projetos importantes para a pauta, como reforma política. Acredito que está sendo positiva a gestão Cunha, por ser um presidente trabalhador e estar mostrando resultados com mais projetos votados.

Gonzaga Patriota (PSB) – Eduardo Cunha está fazendo um bom trabalho como presidente da Câmara. Só o doutor Ulysses Guimarães conseguiu avançar como ele na votação de propostas. Obviamente, se for comprovado desvio de conduta, terá que sair, não apenas da presidência, mas da Câmara.

Eduardo da Fonte (PP) – Informou por meio da assessoria que é contra a saída, mas não detalhou motivos.

#DeixaDisso – três deputados

Bruno Araújo (PSDB) – Nesses meses na presidência, ele exerce um mandato marcado pela polêmica e também por uma produção legislativa bem acima da média. Não resta dúvida que após as denúncias da Operação Lava-Jato a análise do cenário atual deve ser pautada pela cautela.

Fernando Filho (PSB) – O presidente da Câmara tem a prerrogativa de poder se defender. Não podemos fazer julgamento agora. Mas claro que ele como presidente fica numa posição mais delicada.

Jorge Côrte Real (PTB) – Preferiu não se pronunciar sobre o assunto neste momento.

A reportagem não conseguiu contato com 10 deputados:
Adalberto Cavalcanti (PTB)
Cadoca (PCdoB)
Daniel Coelho (PSDB)
Fernando Monteiro (PP)
João Fernbando Coutinho (PSB)
Luciana Santos (PCdoB)
Pastor Eurico (PSB)
Raul Jungman (PPS)
Ricardo Teobaldo (PTB)
Zeca Cavalcanti (PTB)

Diário de Pernambuco/

 

Share Button

SUCESSO ABSOLUTO – MULTIDÃO COMPARECE NA ABERTURA DA 1ª FESTA DO GESSO EM TRINDADE

A 1ª noite da Festa do Gesso (31/07) garantiu sucesso de público e recebeu ainda a presença das autoridades de Trindade, empresários do gesso e representantes do Estado e região.

gesso1 gessoDurante evento de abertura, o prefeito Dr. Everton Costa, destacou o protagonismo da indústria da Capital do Gesso e Região do Araripe. O executivo foi aplaudido pela multidão, pelo reconhecimento e a valorização à classe empresarial que atua na indústria do ouro sertanejo, o maior potencial econômico do Araripe Pernambucano.

gesso3gesso4As atrações da noite trouxeram vários fãs de Trindade e cidades vizinhas à avenida principal da cidade, garantindo recorde de público com a puxada do Gabriel Diniz que se apresentou pontualmente às 22h; o samba do Xandy do Harmonia do Samba levou o público ao delírio; Pabline & CIA; Rodrigo Amorim e Rafael e banda fizeram o público cantar e dançar, esquentando ainda mais o clima da noite. Cada show mostrou seu espetáculo envolvendo talento, ritmo e a alegria do público que aprovou o maior evento de valorização da produção gesseira do sertão do Araripe.

gesso2

Da Assessoria de Imprensa – Prefeitura de Trindade

 

Share Button

TUDO PRONTO PARA A 1ª FESTA DO GESSO EM TRINDADE

festa

O prefeito Dr. Everton Costa e o vice-prefeito Jaécio Sá, através da Secretaria de Indústria Comércio e Mineração convidam toda sociedade trindadense e região do Araripe para prestigiarem hoje (31/07) e amanhã (01/08) a 1ª Grande Festa do Gesso em Trindade, será na avenida principal da cidade, a partir das 21h.

Trindade é reconhecida em todo o Brasil como a Capital do Gesso. A festividade tem total interesse em valorizar a classe empresária que atua na indústria do ouro sertanejo, o maior potencial econômico do Araripe Pernambucano. Além disso esquenta as vendas do comércio local, valoriza a cultura e fomenta o turismo.

festa1

Com tudo pronto: Palco, luz, som, artistas globais e da terra confirmados (Produção do Ramos Simbora Produções), imprensa garantida para a cobertura completa e total segurança para você e sua família: Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Lei Seca, Guardas Municipais, Rocam, GATI, equipe médica de plantão, a Prefeitura Municipal de Trindade estará realizando a 1ª Festa do Gesso.

COM ATRAÇÕES NACIONAIS, CONFIRA:

festa2

Dia 31 Julho (Sexta-feira): Harmonia do Samba; Gabriel Diniz; Marcas da Paixão e Márcio o Som do Povão e Pabline & CIA.

Dia 01 Agosto (Sábado): Alcymar Monteiro; Aline Rosa (ex Cheiro de amor); Jorge do Acordeon, Forró de Nós (ex forró da curtição).

Da Assessoria de Imprensa – Prefeitura de Trindade

Share Button

MEDIDA PROVISÓRIA LIBERA R$ 5 BILHÕES PARA OPERAÇÕES DO FIES

fies

A presidente Dilma Rousseff e o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, editaram a Medida Provisória 686 para liberar crédito extraordinário de R$ 9,820 bilhões em favor do Ministério da Educação, Encargos Financeiros da União e Operações Oficiais de Crédito. Desse total, R$ 5,178 bilhões serão destinados a atividades do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

A maior parte do montante aportado ao Fies, um total de R$ 4,2 bilhões, servirá para a concessão de empréstimos do programa; R$ 400 milhões serão usados pela União para integralizar cotas do Fundo de Garantia de Operações de Crédito Educativo (FGEDUC); e outros R$ 578 milhões para a administração do Fies.

Ainda para o MEC, foram liberados R$ 35,8 milhões, a serem utilizados na avaliação da Educação Superior e da Pós-Graduação.

Do volume global liberado pela MP, R$ 4,6 bilhões serão aplicados na subvenção econômica concedida a operações de financiamento do Programa de Sustentação do Investimento (PSI) e do Programa Emergencial de Reconstrução de Municípios Afetados por Desastres Naturais.

A Medida Provisória 686 está publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira.

Share Button

DIVANNAGÓRAS GARANTE QUE ESTÁ À DISPOSIÇÃO DO GRUPO PARA DISPUTAR AS ELEIÇÕES 2016

divanagoras

O médico Divannágoras Holanda concedeu entrevista na manhã desta sexta-feira, 31, no Programa Canal Aberto da Rádio Arari, ancorado por este blogueiro, e externou o seu desejo de comandar os destinos de Araripina, sobretudo com o sentimento de poder servir ao município.

Sempre cauteloso em suas colocações Divannágoras quando questionado se colocaria o seu nome na disputa municipal como pré-candidato a prefeito disse que como todo homem público e político tem sim o sentimento e o desejo de exercer um cargo para poder contribuir com o desenvolvimento de Araripina. E que esse não é um projeto pessoal e sim de coletividade. “Para ser candidato a prefeito não pode ser projeto pessoal e sim coletivo. Não é somente dizer sou candidato e pronto. Tem que ter o desejo popular, o conjunto de forças, o apoio do grupo e outros fatores”, descreveu.

Confirmando que é integrante do grupo político liderado pelo prefeito Alexandre Arraes, o médico disse que uma candidatura a prefeito passa por uma série de fatores e avaliações. Citou, por exemplo, que deve ser uma pessoa de boa índole, que tenha serviços prestados ao município, grupo político e principalmente o apoio popular. “Tenho sim o sentimento e o desejo de poder contribuir ainda mais com Araripina e se for o desejo do grupo liderado pelo prefeito Alexandre Arraes o nosso nome está à disposição”, disse Divannágoras, que durante a entrevista recebeu a manifestação de apoio de diversos populares e lideranças comunitárias e políticas.

Na entrevista, o médico que exerce o cargo de Diretor Clínico do Hospital e Maternidade Santa Maria apresentou números dos atendimentos efetuados pela unidade de saúde durante o primeiro semestre de 2015. Afirmou que a parceria da prefeitura municipal, através do prefeito Alexandre Arraes tem possibilitado com que o hospital possa atender o serviço de emergência. “Se não fosse a importante ajuda da prefeitura de Araripina seria praticamente impossível a emergência do Hospital Santa Maria atender a população da região”, referendou.

Share Button

GOVERNADORES DE OPOSIÇÃO MANIFESTAM PREOCUPAÇÃO COM DESEMPREGO E REFORMA DO ICMS

Presidenta Dilma Rousseff discute temas de interesse comum com governadores dos estados.

Em uma reunião separada dos aliados do governo Dilma Rousseff, governadores de oposição deixaram o encontro que antecede a reunião com a presidente pregando um “pacto” pelo emprego e pela retomada dos investimentos. Liderados pelo governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), os gestores manifestaram preocupação com a crise econômica nacional, em especial com as consequências do ajuste fiscal sobre a situação financeira dos Estados.

Reuniram-se na tarde desta quinta, seis governadores no escritório da representação do Paraná em Brasília. Além do governador paranaense, estavam os tucanos Geraldo Alckmin (São Paulo), Marconi Perillo (Goiás), Simão Jatene (Pará) e a vice-governadora do Mato Grosso do Sul, Rose Modesto. Embora seja do PMDB, o governador Paulo Hartung (Espírito Santo) também se juntou ao grupo. Os tucanos desconversaram sobre o “pacto pela governabilidade” proposto pela presidente Dilma Rousseff. “Tem de ser um pacto pelo emprego”, enfatizou Alckmin.

Os governadores manifestaram preocupação com a falta de espaço fiscal para projetos estaduais, ou seja, com a descontinuidade dos investimentos, e com a proposta de reforma do ICMS. “Em relação à reforma do ICMS, busca-se o entendimento, o convênio 70, para se fazer uma redução de alíquota interestadual, ano a ano, de 12 e 7, para 7 e 4. A preocupação é que esse fundo de compensação seja constitucional e não dependa apenas de repatriamento de recursos”, disse Alckmin, criticando a Medida Provisória 683, que institui dois fundos de investimento regionais que, no limite, abririam espaço para a reforma do ICMS.

De acordo com a proposta do Executivo, esses fundos serão abastecidos pela tributação sobre recursos repatriados de brasileiros ou empresas nacionais no exterior, que não tenham sido declarados à Receita. O governo prevê uma arrecadação de R$ 25 bilhões e conta com isso para a chegar à nova meta fiscal. O governador de São Paulo disse que o governo federal não pode depender “só disso”. Durante a reunião, os governadores do PSDB elencaram dois temas como os principais para debater com a presidente Dilma Rousseff na reunião marcada para logo mais, entre eles a reforma do ICMS.

No encontro, o governador de Goiás, Marconi Perillo, afirmou que, se não houver um fundo de compensação, não haverá nem “início de conversa” sobre a reforma do ICMS. A alternativa proposta pelo governo, de fazer esse fundo com recursos repatriados do exterior, é vista com ressalvas pelos tucanos, que dizem que ainda não há garantias de como essa ideia iria funcionar. “Ninguém aguenta mais aumento de despesas sem aumento de recursos correspondentes”, resumiu Perillo.

A outra demanda dos governadores é com a autorização para que os Estados façam empréstimos no exterior para que eles possam captar recursos para investir. (Agência Estado)

Share Button

DILMA ROUSSEFF VETA PROJETO QUE REGULAMENTA A PROFISSÃO DE DECORADOR

Agência Câmara

A presidente Dilma Rousseff vetou integralmente o projeto de lei que regulamenta a profissão de decorador. Trata-se do PL 5712/01, do Senado, aprovado pela Câmara em 2007, mas cujo recurso para possível votação pelo Plenário só foi rejeitado em junho deste ano, quando, então, o projeto foi encaminhado à sanção.

A proposta permitia o exercício da profissão de decorador aos formados em decoração nas faculdades do Brasil ou do exterior; aos que tenham diploma de áreas afins, como arquitetura ou desenho industrial; e aos que, tendo concluído o ensino médio, já exerçam a profissão há cinco anos. O projeto especificava ainda os tipos de projetos que o decorador poderia realizar na sua área de atuação.

Na mensagem de justificativa ao veto, a Presidência da República afirma que o texto é inconstitucional, pois, de acordo com a Constituição Federal, no art. 5º, inciso XIII, é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, cabendo a imposição de restrições apenas quando houver a possibilidade de ocorrer dano à sociedade.

Derrubar o veto
O relator do projeto na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados, deputado Valtenir Pereira (Pros-MT), considerou o veto um equívoco e afirmou que vai trabalhar para sua derrubada.

“Nós não concordamos com esse veto porque é um projeto que disciplina, regulamenta, dá as diretrizes de como o profissional de decoração deve agir no seu dia a dia, em harmonia absoluta com os engenheiros civis, com os arquitetos”, observou o parlamentar.

“O projeto trata de forma muito equilibrada das atribuições, do trabalho de um decorador, de suas responsabilidades, então não vejo o porquê do veto”, acrescentou Valtenir.

Designer de interiores
Um outro projeto, que teve origem na Câmara, trata do mesmo assunto – PL 4692/12, do deputado Ricardo Izar (PSD-SP) -, mas chama o profissional de designer de interiores, em vez de decorador.

A proposta, já aprovada em caráter conclusivo pela Casa, foi alvo de protestos de arquitetos que apontam falhas no texto, como a ausência de fiscalização desses profissionais. Essa proposta aguarda a votação da redação final pela CCJ para ser encaminhada à análise do Senado.

Share Button

CAMPANHA DE DILMA PAGA R$ 6 MILHÕES PARA GRÁFICA DE MOTORISTA

Brasília - DF, 28/07/2015. Presidenta Dilma Rousseff durante Lançamento do Dialoga Brasil. Foto: Ichiro Guerra/PR

Uma gráfica presidida pelo motorista Vivaldo Dias da Silva, que em 2013 tinha o salário de R$ 1,4 mil, foi a oitava fornecedora que mais recebeu dinheiro da campanha de reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT). A Rede Seg Gráfica, de São Paulo, recebeu da campanha petista R$ 6,15 milhões. O detalhe é que a empresa não tem sequer um funcionário registrado. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

Os valores pagos a empresa estão na prestação de contas do PT registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Os funcionários do órgão que examinaram as contas da campanha petista descobriram a situação da gráfica ao cruzar as informações da empresa com o banco de dados do Ministério do Trabalho. A suspeita é que a gráfica não tinha estrutura para prestar os serviços que foram declarados pela remuneração.

De acordo com informações fornecidas pelo PT, a empresa presidida por Vivaldo Dias da Silva produziu folders para a campanha presidencial. A reportagem da Folha visitou a sede da gráfica ontem, em São Paulo. Um funcionário da empresa, identificado como Rogério Zanardo, que recebeu a reportagem, disse que a Rede Seg pertence a sua família e o motorista não é o dono, mas funcionário da empresa. O irmão de Rogério, no entanto, deu outra versão.

Segundo Rodrigo Zinardo, que se apresentou como gerente da gráfica, o motorista é mesmo o dono da empresa. A versão dele é que, além de motorista, Vivaldo exerce o comando da empresa, acumulando as duas funções. Rodrigo disse, ainda, que o motorista, ao abrir a empresa, pediu ajuda a ele para administrar a empresa, uma vez que os irmãos Zinardo são proprietários de outra gráfica, a Graftec.

Numa consulta, o TSE atestou que Vivaldo possui vínculo empregatício com a Graftec, além de outra empresa chamada Artetécnica Gravações. Mais tarde, o próprio Vivaldo chegou ao local e afirmou ser “sócio” e “motorista”. “Eu gosto de trabalhar, e é um rendimento a mais que tenho”, declarou.

As contas da campanha de reeleição da presidente foram aprovadas em dezembro, por unanimidade, pela Justiça Eleitoral, mas com ressalvas. A Secretaria de Comunicação Social (Secom) da Presidência da República informou que “a campanha de Dilma Rousseff recebeu várias propostas de prestação de serviços e selecionou as empresas que apresentaram preços mais baixos”.

Diário de Pernambuco/ Foto: Ichiro Guerra/Divulgação

Share Button