BOLSONARO AMPLIA ATUAÇÃO DA CODEVASF AO APROVAR NOVA LEI

O presidente Jair Bolsonaro sancionou o projeto de lei que inclui bacias hidrográficas de vários Estados na área de atuação da Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf). Com isso, a estatal passar a atuar nas bacias hidrográficas dos rios Araguari (AP), Araguari (MG), Jequitinhonha, Mucuri e Pardo e as demais bacias hidrográficas e litorâneas dos Estados do Amapá, da Bahia, do Ceará, de Goiás, da Paraíba, de Pernambuco, do Piauí e do Rio Grande do Norte.

O projeto teve sua última aprovação no Congresso em meados de agosto e seguiu para a mesa do presidente, para sanção. A nova lei amplia a área de atuação da Codevasf. Segundo o governo, o objetivo é permitir a integração entre regiões hidrográficas, possibilitando o aproveitamento racional e a utilização dos recursos hídricos disponíveis. Ainda de acordo com o Palácio do Planalto, a medida promoverá ações preventivas e corretivas em face dos impactos ambientais.

O autor do Projeto de Lei 4731/2019 foi o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), presidente da Casa. Na avaliação dele, as bacias incluídas são alvo de ocupação irregular das cabeceiras, queimadas e desmatamentos e aproveitamento hidrelétrico. Esses fatores, na avaliação do senador podem causar danos irreversíveis ao desenvolvimento sustentável. “O enfrentamento de questões dessa natureza seguramente é mais viável com a presença da Codevasf”, alegou, na ocasião.

A Codevasf é uma empresa pública federal atualmente vinculada ao Ministério do Desenvolvimento Regional e opera no processo de articulação para o desenvolvimento de forma integrada e sustentável das bacias hidrográficas em que atua. (Fonte: Agência Brasil)

ARARIPINA REGISTRA MAIS UMA MORTE POR COVID 19 E TOTAL CHEGA A 34

Mais uma morte pela Covid-19 foi confirmada em Araripina, chegando a um total de 34 vítimas. As informações estão no boletim desta terça-feira (08) divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde. O boletim não repassa informações sobre o paciente que veio a óbito.

Foram registrados mais 17 casos da doença nas últimas 24h.  O número de diagnosticados com a doença está em 1612. 22 casos estão em investigação.

CESTA DE COMPRAS PARA FAMÍLIA DE RENDA MAIS BAIXA SOBE 0,36% EM AGOSTO

Agência Brasil

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a variação de preços da cesta de compras de famílias com renda até cinco salários mínimos, registrou inflação de 0,36% em agosto deste ano. A taxa é inferior à observada no mês anterior (0,44%), segundo dados divulgados hoje (9) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Esse é o maior resultado para um mês de agosto desde 2012, quando o INPC ficou em 0,45%. O indicador também ficou acima da inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que ficou em 0,24% no mês de agosto deste ano.

O INPC acumula taxas de inflação de 1,16% no ano e de 2,94% nos últimos 12 meses. Em ambos os casos, o indicador ficou acima da inflação oficial, que acumula taxas de 0,70% no ano e de 2,44% em 12 meses.

Em agosto, os alimentos tiveram alta de preços de 0,80%, enquanto os produtos não alimentícios subiram 0,23%.

COVID-19: FALTA DE COORDENAÇÃO ENTRE MUNICÍPIOS EXPANDE CASOS NO PAÍS

Agência Brasil

 

A falta de coordenação entre os municípios para relaxar as medidas de distanciamento pode ter desempenhado um papel importante na disseminação do novo coronavírus no Brasil. A conclusão é de pesquisadores da Universidade de Oxford, na Inglaterra, e teve como base em um levantamento feito pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM).

A entidade realizou pesquisa nacional com 4.061 municípios – 73% das cidades brasileiras – para entender como o poder público local atuou na prevenção e no controle da covid-19. O levantamento ocorreu entre março e agosto de 2020 por meio de questionário respondido por prefeito ou por responsáveis pela secretaria à frente das ações emergenciais.

Segundo pesquisadores do programa de estudos brasileiros da Universidade de Oxford, embora as medidas de distanciamento tenham sido adotadas em todo o país nos estágios iniciais do pandemia, a flexibilização delas, iniciada no final de março, desconsiderou frequentemente as decisões dos municípios vizinhos.

Outra constatação do grupo é que o fechamento precoce e coeso de atividades não essenciais durou pouco tempo e, desde o final de março, os municípios estão suspendendo as medidas de distanciamento de forma não sincronizada.

“A flexibilização das medidas nem sempre esteve relacionada à redução de casos confirmados, nem coordenada entre as cidades vizinhas. As fronteiras das cidades estão porosas e as que mantêm políticas estritas de distanciamento social podem enfrentar um número crescente de casos por causa de decisões externas.

A observação é importante, pois uma avaliação política da gestão da pandemia no Brasil deve levar em conta a duração desigual do distanciamento social no país”, concluíram.

Falta de coordenação

Dos 3958 prefeitos que responderam à pergunta sobre a implementação do isolamento social – fechamento de todos os serviços não essenciais – 2738 (69,2%) O fizeram  antes do primeiro caso relatado em seu município. “Isso levanta a questão de como a Sars-cov-2 passou de 296 municípios (7,5%), em 31 de março de 2020, para 4.196 municípios (75%) em 31 de maio de 2020.

Os dados sugerem que a falta de coordenação entre os municípios para relaxar as medidas de distanciamento pode ter desempenhado um papel importante”, avaliam os pesquisadores.

O consultor da área de estudos técnicos da Confederação Nacional dos Municípios , Eduardo Stranz, atribui o aumento do número de casos – após flexibilização das medidas – ao desconhecimento sobre os impactos do novo coronavírus.

Segundo Stranz, a partir da aprovação pelo Congresso do estado de calamidade nacional por causa da pandemia, em 10 ou 15 dias todos os estados fizeram seus decretos e municípios tomaram suas medidas de isolamento social.

“A administração pública tomou uma decisão muito rápida,e  isso aconteceu quase de forma universal no Brasil. Quando o prefeitos fecharam os serviços não essenciais, a população entendeu que era necessário, mas 15 dias depois, começou a pressionar pela reabertura. O abre e fecha ocorre porque ninguém tem muita noção de nada, já que não há paralelo e nem uma receita que possa ser adotada.”

Ainda segundo Stranz, entre abril e maio, muita gente perdeu emprego, saiu das capitais e voltou para o interior. Esse movimento também contribuiu para o aumento do número de casos em municípios menores.

Pesquisa

No período analisado, 96,5% dos municípios tiveram medidas restritivas para diminuição da circulação ou aglomeração de pessoas; menos 52,4% adotaram barreiras sanitárias, com postos de monitoramento de entrada e saída de pessoas no município; menos 75,7% estabeleceram “isolamento social” e abertura ou funcionamento apenas dos serviços essenciais; menos 94,2% dos municípios publicaram norma local para uso obrigatório de máscaras faciais; e menos 54,4% reduziram oferta de transporte público; menos 61,9% reconheceram que houve flexibilização das medidas restritivas durante o período pesquisado.

Levantamento

O levantamento da CNM revela que 79,3% dos consultados afirmam ter editado decretos municipais de emergência e que 18,8% deles não editaram. A situação de emergência ocorre quando há o reconhecimento pelo poder público de situação anormal, provocada por um ou mais desastres causando danos superáveis pela comunidade afetada.

Quando o assunto é decretação de estado de calamidade pública, 59,7% responderam que editaram decretos neste sentido, e 37,4% não publicaram. A norma dá celeridade a determinados processos administrativos e habilita o município a receber repasses federais no âmbito de outros ministérios que não o da Saúde.

Testagem

Entre as ações para diagnosticar o novo coronavírus, 3.414 fizeram a testagem de sintomáticos; 2.808 testaram grupos prioritários – profissionais de saúde, segurança e assistência social; e 1.210 o fizeram com assintomáticos.

Na atenção primária básica, que é a porta de entrada para os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), 3.869 gestores afirmaram que distribuíram equipamentos de proteção individual (EPIs) para todos os membros das equipes; 3.650 entregaram máscaras; 3.577 mantiveram as visitas domiciliares de agentes comunitários de saúde; e 3.472 estabeleceram fluxos de encaminhamento de casos suspeitos para unidades de saúde.

O levantamento é a segunda etapa da pesquisa da CNM para identificar e acompanhar medidas adotadas por municípios para o enfrentamento e controle do novo coronavírus. Na próxima fase, que deve ser divulgada no mês que vem, serão levantados os recursos que chegaram aos municípios e como foram utilizados.

SENAI-PE LANÇA PLATAFORMA DE ESTÁGIOS E EMPREGOS PARA ESTUDANTES E EGRESSOS

Para facilitar o acesso de seus alunos e ex-alunos ao mercado de trabalho, o SENAI-PE está lançando o Via SENAI – uma plataforma inovadora que irá reunir, em um único lugar, vagas de estágio e emprego, eventos e dicas para aumentar a empregabilidade. A plataforma Via SENAI, desenvolvido pelo Instituto SENAI de Inovação para Tecnologias da Informação e Comunicação (ISI-TICs), poderá ser acessada gratuitamente neste link.

No ambiente virtual, os alunos e egressos poderão visualizar vagas de emprego e estágio nas suas áreas de atuação e se candidatar em processos seletivos, que serão ofertados pelas próprias indústrias. Por meio da plataforma, quem se cadastrar também poderá participar de eventos como minicursos, lives e seminários, que irão abordar temas relacionados à empregabilidade.

De acordo com a coordenadora do Núcleo de Avaliação do SENAI-PE, Ana Paula Vasconcelos, a proposta da plataforma é propiciar o encontro entre as indústrias ofertantes e os profissionais e estudantes interessados em conquistar uma oportunidade no mercado de trabalho.

 “O estudante SENAI tem a preferência de 100% das indústrias pernambucanas e, por isso, queremos facilitar esse encontro. A nossa plataforma estará aberta para receber vagas de indústrias de todos os segmentos no Estado e queremos estar prontos para atender à essa demanda”, explicou.

CAMPANHA NACIONAL APOIA A ALFABETIZAÇÃO ATÉ OS 7 ANOS DE IDADE

Iniciativa faz parte de um grande movimento promovido por Natura Crer Para Ver em parceria com o Instituto Natura, envolvendo mobilização da rede de mais de 1 milhão de Consultoras de Beleza Natura e convidando toda sociedade para assinatura de uma declaração on-line

No Brasil, mais da metade das crianças da rede pública de ensino não aprendem a ler e a escrever até os 7 anos de idade. Isso significa que até o final do 2º ano do Ensino Fundamental elas não estão alfabetizadas, apresentando sérias dificuldades de leitura e interpretação de texto. Foi pensando neste desafio que Natura Crer Para Ver em parceria com o Instituto Natura lançaram a campanha nacional #EuEscrevoEssaHistória, em apoio a alfabetização de todas as crianças até os 7 anos de idade. O Instituto Natura é o braço social da Natura responsável por gerir e investir os recursos nas iniciativas de educação.

Desde 1995, os produtos Natura Crer Para Ver fazem parte da única linha não-cosmética da Natura que tem todo o lucro revertido para o apoio à educação pública, por meio da alfabetização das crianças, ensino médio de tempo integral para os jovens, além do desenvolvimento integral das Consultoras de Beleza Natura.

Com a atuação principal em setembro, mês do Dia Mundial da Alfabetização e da Educação Básica no Brasil, a campanha #EuEscrevoEssaHistória tem como principais pilares a sensibilização para o cenário da alfabetização pública no país e a mobilização de todos, principalmente as Consultoras de Beleza Natura, para o apoio à causa.

Conforme dados da última Avaliação nacional de Alfabetização (ANA), de 2016, mais de 50% das crianças brasileiras não apresentam as habilidades esperadas de leitura e escrita para serem consideradas plenamente alfabetizadas. Por isso, a campanha oferece, por meio de seu site oficial, a assinatura da declaração a favor da alfabetização, a ser entregue para cada um dos secretários estaduais de Educação. A meta da campanha é atingir pelo menos 150 mil assinaturas em todo Brasil.

Por meio de um cadastro simples, o público ajuda a reforçar a urgência da alfabetização das crianças, um dos compromissos de Natura Crer Para Ver e do Instituto Natura. Atualmente, já são dez estados que possuem parceria direta com o Instituto Natura para garantir a eficácia da política pública de alfabetização até os 7 anos de idade. Para saber mais sobre a parceria, confira aqui.

“A campanha ‘Eu escrevo essa história é extremamente importante para a atual conjuntura educacional do país. Precisamos reforçar cada vez mais a alfabetização pública que precisa acontecer na idade certa, ou os impactos desse hiato na educação serão cada vez mais sérios a longo prazo, prejudicando os cidadãos e o Brasil como um todo. Este movimento é uma prova de que podemos contribuir para melhorar a educação do nosso país”, explica David Saad, diretor-presidente do Instituto Natura.

Além disso, para reforçar a atuação da linha Natura Crer Para Ver, a campanha contará com a entrega de um exemplar do livro infantil “Um sonho feito de linhas” para todas as Consultoras de Beleza Natura ativas no mês – no total, serão distribuídos 750 mil livros. Em março de 2020, diversas Consultoras de Beleza Natura de diferentes partes do Brasil compartilharam relatos preciosos da sua infância e suas histórias de vida. Dessas histórias, nasceu o livro exclusivo escrito por Ana Carolina Carvalho e ilustrado por Andreia Vieira, destinado a essa rede de mulheres do Brasil inteiro. Todas as pessoas que assinarem a declaração receberão o livro na sua versão digital (e-book) e no formato de áudio-livro regional.  Confira o vídeo teaser da campanha. E assine aqui e faça parte deste grande movimento.

Sobre o Instituto Natura

O Instituto Natura é uma entidade social da Natura, criado em 2010 com o propósito de ampliar os investimentos em educação, realizados pela empresa desde 1995. A instituição apoia políticas públicas relacionadas a alfabetização e ensino médio, realizando iniciativas voltadas para a articulação do terceiro setor educacional e para o desenvolvimento das Consultoras de Beleza Natura. O investimento acontece por meio da venda dos produtos da linha Crer Para Ver, comercializada pelas Consultoras de Beleza Natura, sem lucro. Atualmente, o Instituto Natura atua em 22 estados, com iniciativas que envolvem mais de um 1,2 milhão de crianças e jovens por ano.

IPUBI CONFIRMA MAIS UM ÓBITO POR COVID-19 NESTA TERÇA-FEIRA (8)

Por G1 Petrolina

O município de Ipubi, no Sertão de Pernambuco, confirmou mais um óbito por Covid-19 nesta terça-feira (8). Não foram divulgadas informações sobre o paciente. Com isso sobre para 21 o número de mortos pela doença na cidade.

Foi registrada também, mais uma cura clínica. Ipubi totaliza 373 casos, com 335 recuperados, 17 casos ativos e dez em investigação.

O estado de Pernambuco tem 132.590 confirmações e 7.741 óbitos pela Covid-19, de acordo com o mais recente boletim divulgado.

MARCOLÂNDIA: DR. CORINTO CONFIRMA CANDIDATURA A PREFEITO

O jovem dentista Dr Corinto Matos (PP) teve a candidatura a prefeito de Marcolândia (PI) oficializada, nesta segunda-feira, 07, durante convenção partidária. O ex-vereador Valmir de Juraci (PSD) foi confirmado na vice. O evento selou também a chapa proporcional, que é formada por 15 candidatos a vereador que concorrem pela coligação formada por PP e PSD.

As convenções foram bastante concorridas e seguiram à risca todos os protocolos de segurança de combate à Covid 19. Prestigiaram a convenção o senador Ciro Nogueira, presidente nacional do Partido Progressista; e as deputadas federais Iracema Portela e Margareth Coelho.

Com um discurso empolgante, o senador Ciro Nogueira se comprometeu em lutar para solucionar o principal e maior problema que o povo de Marcolândia sofre: a falta de água encanada para abastecer a cidade. Ele reafirmou o total apoio tanto para a chapa majoritária quanto as proporcionais.

Dr. Corinto agradeceu a presença de todos e enalteceu a maturidade política das principais lideranças do grupo que souberam chegar a um entendimento e se uniram em benefício de Marcolândia.

EXPOSIÇÃO AO VÍRUS NO FERIADO SERÁ SENTIDA ATÉ A PRÓXIMA SEMANA EM PERNAMBUCO

Por Portal Folha de Pernambuco

Movimentação na Praia de Boa Viagem no feriado da Indepêndencia – Foto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco 

Durante o feriadão da Independência, entre 5 e 7 de setembro, praias e bares lotaram. Muitos frequentadores não usavam máscara, e o distanciamento social também não foi cumprido em todos os locais. Em coletiva de imprensa remota nesta terça-feira (8), os secretários de Saúde de Pernambuco e do Recife, André Longo e Jailson Correia, respectivamente, comentaram os incidentes ocorridos. De acordo com os médicos infectologistas, a situação de redução de casos em Pernambuco foi posta em risco por causa do desrespeito às normas de higiene e segurança.

“Preciso lamentar o registro de aglomerações e extrema falta de cuidado de parte da população nas praias e outros ambientes durante o final de semana prolongado de feriado. São atitudes egoístas, equivocadas e que nos causam grande preocupação, até indignação. Isso porque colocam em risco tudo o que conquistamos até agora e os avanços que estamos tendo no nosso Plano de Convivência”, comentou o secretário estadual, André Longo. De acordo com ele, muitas vidas podem ser comprometidas devido ao desrespeito às normas.

Como a Covid-19 tem de 1 a 14 dias como período de incubação (tempo entre a exposição ao vírus até a manifestação da doença), o impacto da exposição ocorrida no feriado ainda não foi sentido. “Os dados epidemiológicos dessa e da próxima semana nos darão a real dimensão do impacto dessas aglomerações e serão essenciais para as decisões que teremos que tomar e também na reavaliação das aberturas de serviços no Estado. De fato, todo mundo gostaria de voltar a uma vida normal, mas nao existe vida normal quando se convive com um virus que mata”, esclareceu Longo.

Pernambuco tem apresentado um avanço no Plano de Convivência da Covid-19 graças à diminuição de casos da doença. A liberação do comércio de praia, ocorrida no dia 31 de agosto, enfrentou seu primeiro feriado prolongado com a Independência do Brasil. Jailson Nóbrega, secretário de Saúde do Recife, informou que a grande dificuldade enfrentada pelas equipes de fiscalização não foi a organização dos comerciantes, mas os banhistas. “Os vendedores das barracas, aqui na orla do Recife, em grande parte seguiram com preocupação as normas e ajudaram a manter a ordem na área do seu comércio”, salientou.

O desrespeito às normas, como o uso de máscara ou evitar aglomerações, é essencial para a manutenção da liberação do espaço de lazer. Em Pernambuco, caso haja aumento de casos, as atividades de lazer poderão voltar ao estágio de restrições. “Precisa haver uma conscientização da população porque, sem essa conscientização, podemos ter uma volta dos indicadores negativos e esses indicadores negativos vão fazer com que as autoridades tenham que tomar medidas no sentido de dar passos para trás”, avisou André Longo.

BISPO DE SALGUEIRO TESTA POSITIVO PARA A COVID-19

Por Portal Folha de Pernambuco

Dom Magnus Henrique Lopes, de 55 anos, tem sintomas leves e faz isolamento domiciliar

O bispo da Diocese de Salgueiro (PE), dom Magnus Henrique Lopes, de 55 anos, testou positivo para a Covid-19. O diagnóstico foi divulgado pelo chanceler da igreja sertaneja, padre José Rogério Alencar Silva, nesta terça-feira (8).

De acordo com a nota oficial assinada pelo presbítero, dom Magnus está com sintoma leves. “[O bispo] está bem, cumprindo quarentena em casa e seguindo todas as orientações médicas”, diz um trecho do comunicado publicado nas redes sociais da diocese.

Padre José Rogério pede ainda que os fiéis se unam em oração pela recuperação de dom Magnus e de todos os infectados pelo Sars-CoV-2. “Elevemos ao bom Deus nossas orações para seu pronto restabelecimento e de todos quantos se encontram doentes.”

O Regional Nordeste 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB NE2) totaliza quatro casos de infecção pelo novo coronavírus entre os bispos. Além de dom Magnus, também se contaminaram o arcebispo da Arquidiocese de Natal, dom Jaime Vieira da Rocha; o arcebispo emérito da Arquidiocese da Paraíba, dom Aldo Di Cillo Pagotto; e o bispo da Diocese de Palmares (PE), dom Henrique Soares da Costa. Os dois últimos não resistiram às complicações da Covid-19 e faleceramo.

Entre padres, o território da CNBB NE2, que compreende os estados de Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte, é o segundo dos 18 regionais da Igreja Católica no Brasil em número de casos confirmados. Segundo o último levantamento da Comissão Nacional dos Presbíteros (CNP), até julho foram contabilizados 57 sacerdotes infectados e recuperados, além de três mortos.

Salgueiro
Salgueiro, no Sertão pernambucano é, atualmente, um dos mais afetados pela Covid-19 no Estado. Segundo o boletim da gestão municipal, já foram diagnosticados 1.287 casos de infecção pelo novo coronavírus, dos quais 928 estão recuperados e 27 não resistiram à doença. Outros 359 pacientes estão, portanto, com a doença em curso.